PRIORIDADES CORRETAS

“Que posturas você pode adotar a fim de melhorar seu relacionamento com o Senhor e sua família?”

 

Muitas mulheres da atual geração assumiram o modelo culturalmente imposto pelos padrões sociais da pós-modernidade. A conclusão de cursos acadêmicos, a inserção no mercado de trabalho e o sucesso profissional são alvos de suas aspirações. É comum ouvirmos confissões ou mesmo queixas dos sentimentos de frustração e sensação de inutilidade daquelas que, por alguma razão, não estão vivenciando a rotina de uma profissão ou do que consideram realização pessoal, dando a entender que a posse desse tipo de status seria a garantia de segurança e felicidade.

 

É evidente que hoje, nas sociedades ocidentais, a mulher conquistou seu espaço e tem competido com o homem no mercado de trabalho em pé de igualdade. Há algum tempo, elas têm sido alçadas a posições de destaque nas mais variadas atividades, sendo, assim, normal e compreensível a aspiração pelas melhores posições e conquistas profissionais. Porém, o ritmo frenético da competitividade e a correria para satisfazer à demanda das atividades domésticas e às exigências do mercado de trabalho vêm roubando o tempo e a afastando cada vez mais do cultivo saudável das relações familiares e do cuidado com a espiritualidade. Assim, o acúmulo de funções e a sobrecarga com tantos afazeres acarretam o esfriamento nas relações familiares e espirituais, tornando-se, muitas vezes, a causa de doenças psicossomáticas e de separação dos casais.

 

Consciente da necessidade de boa convivência em família e da importância da assimilação dos princípios bíblicos, desde a mais tenra idade, para estruturação do caráter equilibrado e cristocêntrico, incentivo as amadas leitoras a investirem tempo com qualidade na relação com Deus e na vida ao lado dos seus.

 

Sugiro que faça uma lista de dez coisas que considera importantes: pessoas, sonhos, metas, projetos e alvos a serem alcançados. Em seguida, enumere estabelecendo numa escala de valores priorizando o que considera mais importante. E então, continue a leitura.

 

Há um ensino precioso que o Senhor Jesus deixou em visita à casa de Marta e Maria em Betânia (Lc 10. 38-40). O texto relata a história de duas irmãs com posturas bem diferentes, embora vivessem na mesma época, no mesmo contexto histórico, cultural e familiar. Marta é apresentada como uma mulher dinâmica e boa anfitriã. Preocupada com o bom andamento da casa, reivindicadora do que julgava ser seu direito e esforçada em oferecer o máximo de conforto a seu ilustre hóspede. O que há de errado nas atitudes de Marta? Afinal, não foi isso que aprendemos desde os tempos antigos – manter a casa limpa, organizada, comida bem feita, boa receptividade aos hóspedes? E no contexto pós- moderno – será que não devemos lutar para melhorar os recursos financeiros? E que mal há na conquista dos conhecimentos acadêmicos? Não é legítima a busca da ascensão profissional para melhoria da qualidade de vida da família?

 

Jesus não condena tais atitudes, quando exclama: “Marta! Marta! Você está inquieta com muitas coisas; todavia, apenas uma é necessária”. O que se vê é um ensino claro sobre prioridades – o necessário prioriza ao importante. Nessa perspectiva, defende-se um investimento mais intenso do tempo com o que é prioridade: “Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada” (v. 42). Qual a boa parte escolhida por Maria? Lucas, ao descrever o comportamento de Maria, registra: “Maria ficou sentada aos pés do Senhor, ouvindo sua palavra” (v. 39). Tal afirmativa traz a conotação de que o seu coração era sensível aos ensinos de Jesus. Assim, toda mulher que alcança um coração semelhante, certamente, desfrutará do banquete espiritual preparado pelo Mestre que tem prazer em servir (Mt 20.28).

 

O comportamento de Maria nos inspira a considerar dois aspectos importantes que se contrapõem ao contexto pós-moderno:

 

  • Estar aos pés do Senhor é prioridade

 

Dedique a melhor parte de seu tempo à oração. Leia a Bíblia e medite em seus ensinos dia e noite (Js 1.8). Meditando assim, aprendemos que os valores dessa vida são passageiros e que devemos cultivar os princípios do Reino de Deus, pois são eternos. Seus ensinos geram vida, e vida em abundância – vida eterna que ninguém tira, dada por Deus.

 

  • Pessoas são mais importantes do que coisas

 

       Maria não sabia se teria outra oportunidade de estar com Jesus, portanto, aproveitou ao máximo o tempo com Ele. E nós, quanto tempo teremos uns com os outros? Você já pensou sobre isso? Muitas vezes, trabalhamos tanto, com a finalidade de proporcionar conforto e bens materiais à nossa família, que sobra pouco tempo de convívio com os entes queridos – passear com o cônjuge, brincar com os filhos, dar e receber amor, conversar sobre os princípios eternos, compartilhar refeições... Enfim, estarmos juntos só pelo prazer da companhia do outro.

 

Refletindo em Mateus 6.25-33, pegue aquela lista e responda as questões a seguir e reorganize a ordem. A quem, ou a quê, atribui os primeiros lugares? Quanto tem investido com o que é necessário? Que posturas, adotaria a fim de melhorar seu relacionamento com o Senhor e sua família? Não há dúvida de que o grande desafio da mulher cristã de hoje é aprender a viver no mundo pós-moderno com o coração de Maria. Que nos inspiremos na atitude dela, e, assim, saibamos escolher a melhor parte.  

Abilene da Paz Barros Silva é Pastora da Igreja Congregacional Sião – São Luís – MA, graduada em Teologia e Pedagogia, e pós-graduada em Psicopedagogia e Psicanálise. É coordenadora nacional da Rede Tirzah Brasil. Contato: abipaz21@gmail.com, www.tirzahbrasil.com.br, fone: (98)981184526

Ligue:

43 - 99184 7577