REFÚGIO NO DIA DA DIFICULDADE

Deus é fortaleza, refúgio em tempo de dificuldade e angústia"

No mês de abril do ano passado, nasceu minha segunda neta, uma criança prematura que veio ao mundo após 33 semanas de gestação. Quando recebi a notícia de que a minha filha estava em trabalho de parto e com pré-eclâmpsia, confesso que fiquei apreensiva e resolvi apresentar minha ansiedade a Deus em oração. Em resposta, veio à minha mente o versículo de Naum 1.7: “O Senhor é bom, um refúgio no dia da angústia. Ele protege os que nele confiam”. O texto já havia me confortado em outra ocasião, mas naquele momento, em especial, o conforto foi além de um simples consolo num momento de dificuldade, pois resultou em uma reflexão sobre três verdades significativas a respeito de Deus.

Antes de apresentar o cerne da reflexão, é interessante destacar que a mensagem do livro de Naum é de condenação. O profeta traz um anúncio da destruição da capital da Assíria, uma nação forte e opressora. Naum destaca que o Senhor é Deus santo, zeloso e onipotente, que castigará os perversos e prosperará o seu povo. No decurso do anúncio profético, aparece o texto citado, composto de palavras que enfatizam atributos de Deus e parece amenizar o furor divino revelado nos versos que anunciam a destruição da cidade de Nínive.

A primeira verdade destaca um inegável atributo de Deus: Ele é bom! Vários textos na Bíblia tratam da bondade do Senhor; entretanto, ressalto aqui o relato de Lucas 18.19, quando o próprio Jesus afirma para jovem rico: “Não há ninguém que seja bom, a não ser somente Deus”. A declaração de Cristo traz a indicação de que o Pai é essencialmente bom. Sua essência é bondade! Nós, humanos, podemos ter traços de bondade ou ações benignas. Todavia, embora manifestemos atitudes dóceis, generosidade e gentileza, não poucas vezes nossas ações revelam o quão malvados e pecadores nós somos. No entanto, nosso Pai eterno é bom em todo tempo!

Outro aspecto citado no texto é que Deus é fortaleza, refúgio em tempo de dificuldade e angústia. No contexto de guerra, próprio do período em que foi entregue a profecia, é bem conhecida a função de uma fortaleza. Eram erguidas altas muralhas para servirem de refúgio e segurança contra os ataques dos inimigos. E foi assim que me senti naquele dia: cercada de conforto pela Palavra, guardada e segura de que o Senhor é lugar de refúgio.

Por fim, o profeta declara: “Ele protege os que nele confiam”. Como é confortável saber que somos protegidos e guardados em segurança por um Deus que é essencialmente bom, que se levanta para nos acolher nos dias difíceis! Em outra versão, o texto fala que Ele conhece os que nele se refugiam. Sim, o Senhor nos conhece, sabe da nossa luta, das nossas dores e dos nossos lamentos mais profundos e silenciosos. Ele está pronto a guardar os que nele confiam.

Que nos lembremos, na hora da dificuldade, desses três aspectos do caráter de Deus, que nos convidam a crer e a descansar nele. Todas as coisas estão debaixo do controle do Senhor que é bom, é refúgio e está pronto a nos socorrer. Que tal, no lugar da ansiedade, depositar sua confiança nele? Fazendo assim, com certeza, você experimentará a bondade e proteção do Aba Pai, do Paizinho querido que ama aos seus filhos. Quanto a mim, naquele dia, pude rememorar essas verdades que são motivo de conforto e esperança. Na ocasião, Deus guardou a vida da minha filha e minha netinha nasceu com saúde. A Ele, pois, nossa gratidão!

 

Abilene da Paz Barros Silva é Pós-graduada em Psicoterapia Psicanalítica e em Psicopedagogia clínica e institucional e graduada em Teologia e Pedagogia. Coordenadora Nacional da Rede Tirzah Brasil e Coordenadora Regional da Tirzah International. Site: E-mail: abipaz21@gmail.com

Ligue:

43 - 99184 7577