TEMPO DE DESPERTAR

“A solução é levantar, despertar, abrir os ouvidos espirituais, os olhos do coração e discernir os tempos ”

 

No ano de 2009, assumi a Coordenação Nacional da Rede de Mulheres de Ação Global (RMAG), também conhecida como Rede de Mobilização de Mulheres, ou RMM. Decidi então escrever, mensalmente, um texto de reflexão para enviar às coordenadoras, junto com o calendário de oração. E o que levou a esta decisão? Uma reflexão em torno do capítulo 32 do livro de Isaías 32, sobretudo suas primeiras palavras: “Vocês, mulheres sossegadas, levantem-se e escutem-me ... Ouçam o que lhes vou dizer!” (Is 32.9).

 

Esta palavra profética é direcionada a certas mulheres vaidosas e altivas da época do profeta, que não estavam dando a devida atenção à espiritualidade numa fase que poderíamos chamar de "tempos difíceis" para Israel – uma época de escassez, esterilidade, lamentações e outras tragédias que constantemente se abatiam sobre o povo hebreu. “Vocês, que se sentem seguras, ficarão apavoradas; a colheita de frutas não virá ... Arranquem suas vestes, e vistam roupas de lamento. Batam no peito e chorem pela terra de meu povo, terra infestada de espinhos e roseiras bravas ... A fortaleza será abandonada” (Is 32.10-14). Isaías faz um convite ao arrependimento, um apelo para que haja humilhação e quebrantamento; ele descreve várias maneiras de se dar expressão ao luto, até que o Espírito seja derramado lá do alto e seja estabelecido um tempo de paz.

 

Sabe-se que Isaías é reconhecido como o profeta mais evangelístico do Antigo Testamento. O início do capítulo 32 (entre os versículos 1 e 8) nos dá a entender que o texto todo é messiânico; logo, nós, povo de Deus hoje, podemos fazer um paralelo com os nossos dias. E como estes também são "tempos difíceis"!  Os dias são maus! A terra está enferma!  Informações preocupantes nos chegam de toda parte: violência, miséria, desamor, inversão de valores, promiscuidade, vícios, destruição de lares e a devastação ambiental de nosso planeta.

 

E quanto a nós, mulheres denominadas servas do Senhor, estamos atentas ao que está em nossa volta? Como agimos quando as notícias não são favoráveis e as circunstâncias parecem tão adversas? O que fazemos quando a violência chega aos nossos lares? Como agimos diante da realidade social em que o ter é mais valorizado que o ser? O que fazemos quando o hedonismo adentra em nossas casas e até em nossas igrejas? Ou quando nossos jovens são alcançados pelos vícios? E diante da miséria e da escassez que afetam o ser humano, ou diante das crianças com fome nas ruas? Como temos agido quando a enfermidade e o desamor nos atingem?

 

Que tal ouvir mais uma vez a palavra profética? Afinal insistimos que a voz de Isaías continua pertinente em nossos dias. Então, a solução é levantar, despertar, abrir os ouvidos espirituais, os olhos do coração e discernir os tempos. Permaneça firme, amada leitora! Persevere! Ouça a voz do Senhor! Leia a Palavra e mantenha comunhão com Deus!  Conclame um jejum, um tempo de quebrantamento! Levante-se e clame, “até que sobre nós o Espírito seja derramado do alto e o deserto se transforme em campo fértil, e o campo fértil pareça uma floresta ... O fruto da justiça será paz; o resultado será tranquilidade e confiança para sempre” (Is 32.15).

 

Só o Espírito Santo proveniente do Pai e do Filho pode nos conceder vida espiritual. “O Espírito convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo” (Jo 16.8). Sua presença gera transformação nas famílias, nas instituições, nas culturas, nas mentes e corações dos homens, e faz a terra produzir bons frutos. Portanto, que atendamos ao chamado de Deus para despertar, e oremos por um avivamento que traga compromisso com Deus e com sua Palavra; um avivamento que nos impulsione a amar aos perdidos e realizar a obra que o Pai nos confiou. Só assim o pecado será confrontado, as famílias restauradas, a violência dará lugar à compreensão e colheremos justiça, paz e alegria em nossos "tempos difíceis".

Abilene da Paz Barros Silva é Pastora da Igreja Congregacional Sião – São Luís – MA, graduada em Teologia e Pedagogia, e pós-graduada em Psicopedagogia e Psicanálise. É coordenadora nacional da Rede Tirzah Brasil. Contato: abipaz21@gmail.com, www.tirzahbrasil.com.br, fone: (98)981184526

Ligue:

43 - 99184 7577